terça-feira, Fevereiro 03, 2009

Fechado para balanço


Lemo-nos por aí ;)
Até sempre
Um bj muito especial para todos :)*

terça-feira, Outubro 14, 2008

Oba! :D

Preparava-me eu para declarar este espaço fechado por ordem da ASAE (pois é Rafeirito, lá recebi a carta...), uma vez que as parcas actualizações não permitem que o mesmo seja considerado em condições técnico-funcionais e higio-sanitárias para insistir no seu funcionamento... e eis senão quando (aí está uma expressão com a qual simpatizo) sou presenteada com uma distinção que me deixou extraodinariamente surpreendida e sensibilizada...

Refiro-me ao notável galardão “Blog onde não se maltratam cães nem gatos, mas onde ocasionalmente se esborracham umas moscas”. Uau! A comoção quase me deixa sem palavras (daí o título lacónico do post :P).

E contemplem o selo:

Apelida-lo de obra de arte é reduzir o extraordinário impacto visual e estético que o mesmo representa! Já para não falar na profundidade das palavras vertidas nas margens.

Atrevo-me a dizer que a blogosfera, depois disto, nunca mais será a mesma. Atingiu um patamar dificilmente ultrapassável.

Ilustre Rafeiro, os meus profundos agradecimentos (espero que isto não tenha sido por te ter prometido aquela verba que "sobrasse" do prémio do euromilhões :P).

Por isso, e por culpa do Rafeirito (agora queixem-se a ele :P) ainda não é desta que dou o blog por encerrado... até porque aproveitei a deixa para fazer umas limpezas... ah e impugnar a decisão de encerramento ditada pela ASAE.

Permitam-me agora espalh... perdão, atribuir esta insigne distinção, cujo elitismo não me permite nomear todos aqueles que gostaria, e que certamente mereceriam, mas apenas os que se encontram na coluna aqui ao lado e aqueles que de quando em vez aqui aparecem e que por lapso da minha parte não estão ainda linkados.

(O que te inclui a ti Rafeirito. Diz lá que eu não sou amiga :P)

quinta-feira, Junho 12, 2008

Mafaldisses

Permitam que vos apresente a Mafalda.

Não inventaram ainda um adjectivo para descrever pessoas tão extraordinárias como ela, que se erguem cada dia acima de si mesmas e nos mostram o quanto somos pequenos...

A Mafalda tem 25 anos, sendo portadora de uma doença rara chamada osteógenese imperfeita, que faz com que tenha a portabilidade de um bebé e o tamanho/ peso de uma criança em idade pré-escolar, deslocando-se em cadeira de rodas.
Estudou Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, mas é Técnica de Comunicação.

Nas suas palavras: " (...) sou uma mulher adulta com uma actividade profissional que desde tenra idade se habituou a sair à noite e a não ter qualquer pudor em expor a minha suposta diferença em locais públicos. Ao contrário do que muitos podiam pensar, a minha condição física nunca fez de mim uma menina tímida e recatada. Não sou caseira, assumo. Calada, envergonhada e discreta são adjetivos que não me servem."

Trocou as voltas ao destino e tomou as rédeas da Vida com uma força e intensidade que surpreendem e envergonham quem não tem a coragem de se superar e ir mais além, quem se conforma com o óbvio e desiste de si.

Mais que um exemplo, a Mafalda é em si mesma uma lição de Vida.

Convido-vos a descobrirem algo mais sobre este estraordinário ser humano, grande em tudo, menos no tamanho, no livro "Mafaldisses - crónicas sobre rodas..." da papiro editora:


À Mafalda resta-me deixar um Muito Obrigado! de coração, pelo muito que me ensinou.

terça-feira, Janeiro 15, 2008

O cachorro e o tigre

Um cachorrinho, perdido na selva, vê um tigre correndo em sua direcção.

Pensa rápido. Vê uns ossos no chão e se põe a mordê-los.

Quando o tigre está a ponto de atacá-lo, o cachorrinho diz: - "Ah, que delícia este tigre que acabo de comer!"

O tigre para bruscamente e foge apavorado do cachorrinho, no caminho vai pensando: "Que cachorro bravo! Por pouco não me come também!"

Um macaco, que viu a cena, vai atrás do tigre e conta como ele havia sido enganado.

O tigre, furioso, diz: - "Cachorro maldito! Vai me pagar!"

O cachorrinho vê que o tigre vem atrás dele de novo. Desta vez traz o macaco montado em suas costas. - "Ah, macaco imbecil! O que faço agora?", pensa o cachorrinho.

Em vez de sair correndo, fica de costas, roendo os ossos, como se não estivesse vendo nada.

Quando o tigre está a ponto de atacá-lo de novo, o cachorrinho diz: - "Macaco preguiçoso! Faz meia hora que mandei me trazer outro tigre e ele ainda não voltou..."

"EM MOMENTOS DE CRISE, SÓ A IMAGINAÇÃO É MAIS IMPORTANTE QUE O CONHECIMENTO". Albert Einstein

terça-feira, Janeiro 08, 2008

Perguntas e respostas... a três


Um político, que estava em plena campanha, chegou a uma pequena cidade, subiu num caixote e começou o seu discurso:

- Compatriotas, companheiros, amigos! Encontramo-nos aqui, convocados, reunidos ou ajuntados, para debater, tratar ou discutir um tópico, tema ou assunto, o qual é transcendente, importante ou de vida ou de morte. O tópico, tema ou assunto que hoje nos convoca, reúne ou ajunta, é a minha postulação, aspiração ou candidatura a Presidente da Câmara deste Município.

De repente, uma pessoa do público pergunta:

- Ouça lá, porque é que o senhor utiliza sempre três palavras, para dizer a mesma coisa?

O candidato respondeu:

- Pois veja, meu senhor: A primeira palavra é para pessoas com nível cultural muito alto, como poetas, escritores, filósofos, etc.. A segunda é para pessoas com um nível cultural médio, como o senhor e a maioria dos que estão aqui. E a terceira palavra é para pessoas que têm um nível cultural muito baixo, pelo chão, digamos, como aquele bêbado, ali jogado na esquina.

De imediato, o bêbado se levantou, cambaleando, e respondeu:

- Senhor postulante, aspirante ou candidato! (hic) O facto, circunstância ou razão pelo qual me encontro (hic) num estado etílico, bêbado ou mamado (hic), não implica, significa, ou quer dizer que o meu nível (hic) cultural seja ínfimo, baixo ou, mesmo, ralé (hic). E com todo o respeito, estima ou carinho que o Sr. me merece (hic) pode ir agrupando, reunindo ou ajuntando (hic) os seus pertences, coisas ou bagulhos (hic) e encaminhar-se, dirigir-se ou ir diretinho (hic) à leviana da sua genitora, à mundana da sua mãe biológica ou à puta que o pariu!

Ora aí está uma resposta à altura.

segunda-feira, Dezembro 31, 2007

Feliz Ano Novo



Não poderia deixar que o ano terminasse, sem desejar a todos os amigos que passam por este cantinho, que 2008 seja em tudo melhor do que 2007.

Bem sei que a mensagem não prima pela originalidade, mas é de coração que vos desejo que o novo ano vos traga muitos motivos para sorrir :)

Agora um pedido... não se esqueçam de Ser Felizes!

Num mundo em que os dias se sucedem a uma velocidade vertiginosa, e em que o trabalho e os objectivos profissionais se impõem a quase tudo o resto, não percam de vista aquilo que realmente importa... a família, os amigos, vocês!

E que 2008 seja um ano daqueles em que vale a pena olhar para trás e relembrar com um sorriso, porque valeu realmente a pena!

Beijos e abraços com muita amizade :)*

terça-feira, Dezembro 11, 2007

...


O tempo não corre... voa, esvai-se...

E na sua marcha incessante não se compadece com os nossos anseios, desejos... com o nosso sentir.

Qual astuto jogador num tabuleiro de xadrez, tece armadilhas nas quais muitas vezes acabamos por cair.
A mais comum... o trocar-nos as prioridades.

Mas só enquanto permitimos que assim seja. E chegou a altura de as voltar a colocar na ordem correcta ;)

Perdoem a ausência.

Obrigado a todos pelo carinho e amizade :)

Bem hajam!